Wellington Paulista quebra jejum e Chapecoense vence Atlético-MG fora de casa

Em noite de renovação da Chapecoense a presença do novo técnico, Gilson Kleina, nas cadeiras do estádio Independência, parece ter inspirado o time da Chapecoense que venceu o Atlético-MG por 3 a 2, em Belo Horizonte, e se afastou da zona de rebaixamento. Wellington Paulista, que não marcava há 26 jogos, fez o primeiro gol do time catarinense. Ele não marcava desde o dia 4 de junho, há mais de quatro meses, quando fez um na vitória por 2 a 0 diante do Cruzeiro, também em Belo Horizonte.

— Graças a Deus foi no momento certo, contra o time certo — provocou, lembrando dos tempos em que enfrentou o Atlético como jogador do Cruzeiro.

Jogando mais centralizado, com a saída de Túlio de Melo para reforçar o meio, Wellington Paulista já acertou a trave com cinco minutos de jogo, numa cabeçada que Victor ainda tocou antes de bater no travessão.

Aos oito minutos, Gilson Kleina deve ter ficado bastante preocupado, quando Valdívia abriu o placar para o time na casa, após a zaga afastar mal e Robinho dar o passe par ao meia do Galo dar um belo chute que bateu na trave e entrou no gol.

Mas além de resgatar o atacante Wellington Paulista, que empatou o jogo aos 30 minutos, a Chapecoense retomou seu DNA de sempre jogar com vários volantes. Desta vez foram quatro.

Um deles, Amaral, não jogava há sete meses, após uma lesão no joelho. Outro, Luiz Antônio, não tinha nem sido relacionado para o jogo contra o Flamengo e foi o maestro do time. E mostrou que é um volante que sabe sair jogando e chegar ao ataque. Foi dele a primeira finalização do time catarinense, logo a um minuto. Também foi o autor do passe para Canteros, na entrada da área, marcar o segundo gol da Chapecoense no primeiro tempo.

No início do segundo tempo Moisés Ribeiro, que completava o quarteto de volantes, foi ao ataque e recebeu falta de Elias, que acabou sendo expulso.

Com um jogador a mais a Chapecoense passou a tocar a bola para garantir o resultado. Mas, mesmo com um jogador a menos, o Atlético conseguiu um empate em cobrança de escanteio de Fábio Santos que Fred cabeceou para o gol.  Parecia que novamente a Chapecoense iria vacilar, como no jogo contra o Botafogo, em que perdeu de virada.

Mas aos 34 minutos Reinaldo fez boa jogada, invadiu a área e tocou para trás, onde estava Luiz Antônio, que fez o gol da vitória.

Com isso garantiu os três pontos que levam o time a 35, se afastando da zona de rebaixamento. Isso que no primeiro turno o time catarinense perdeu para os reservas do time mineiro, na Arena Condá, por 1 a 0.

A vitória também diminui a pressão para a estreia do técnico Gilson Kleina, domingo, às 19h, na Arena Condá.

Ficha técnica

Atlético-MG-2: Victor, Marcos Rocha, Felipe Santana, Gabriel e Fábio Santos; Roger Bernardo (Otero), Elias, Valdívia (Yago) e Cazares (Adilson); Robinho e Fred. Técnico:Oswaldo de Oliveira.
Chapecoense-3: Jandrei, Apodi, Fabrício Bruno, Douglas (Groli) e Reinaldo; Moisés Ribeiro (Elicarlos), Amaral (Lucas Mineiro), Canteros e Luiz Antônio, Arthur Caike e Wellington Paulista. Técnico interino: Emerson Cris.
Gols: Valdívia (A), aos oito minutos, Wellington Paulista (C), aos 30 e Canteros (C), aos 41 minutos do segundo tempo. Fred (A), aos 21 minutos e Luiz Antônio (C), aos 34 do segundo tempo.
Arbitragem: Vinícius Gonçalves Dias Araújo, auxiliado por Danilo Ricardo Simon Manis e Rogério Pablos Zanardo (trio de SP).
Cartões amarelos: Roger Bernardo (A); Douglas, Groli e Moisés Ribeiro (C)
Expulsão: Elias (A), aos quatro minutos do segundo tempo.
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Público: 11.197
Renda: R$ 168.850,00

 

Fonte: DC


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.