Solta o grito, torcedor: Chapecoense é Série A

Não seria uma noite qualquer e foi fácil perceber isso: nas horas que antecediam à partida, o tempo fechou, ignorou qualquer previsão, e a água irrompeu – incontrolável – do céu de Chapecó. Foi esse o cenário do dia em que, novamente, a Chapecoense provou da sua grandeza e fez história: sob forte chuva e com muita emoção – como não poderia deixar de ser – a equipe entrou em campo na noite desta quinta-feira (16), na Arena Condá, para partida contra o Vitória. Mais do que conquistar o êxito no confronto de seis pontos, a Chape tinha o compromisso de cravar o resultado positivo e, consequentemente, a permanência na Série A, e assim o fez. Em jogo extremamente brigado do começo ao fim, a equipe alviverde saiu atrás, mas colocou a raça na ponta da chuteira e foi em busca da virada,  garantindo o placar ao seu favor. Com a vitória, a Chapecoense termina a 35ª rodada na 9ª posição da tabela de classificação e comemora, a plenos pulmões, a manutenção entre as 20 melhores equipes do país – no dia que marca quatro anos do acesso à primeira divisão e prestes a completar um ano do dia mais difícil da história do clube e, também, do recomeço.

Foto: Sirli Freitas
Foto: Sirli Freitas

Fazendo valer o fator casa, a Chapecoense iniciou a partida com o domínio das ações, buscando nas alas as melhores alternativas de jogo. Foi o Vitória, no entanto, a primeira equipe a levar perigo ao ataque, aos 14 minutos, exigindo boa defesa de Jandrei. Logo na sequência, aos 19, a equipe baiana chegou novamente e, desta vez, abriu o placar na Arena Condá com gol de David. Ciente da importância dos três pontos, o Verdão não se abateu e não demorou a reagir. Aos 24, após cobrança de escanteio de Reinaldo, Arthur Caíke mandou de cabeça para o fundo da rede, determinando em 1 a 1 o placar da etapa inicial.

O segundo tempo iniciou em ritmo menos acelerado e com pouca criatividade – muito por conta das condições do gramado. Aos 25, o zagueiro Douglas aproveitou cobrança de falta e apareceu livre na área do adversário para marcar para o Verdão, mas a arbitragem sinalizou impedimento e anulou o gol. Mas a noite se encaminhava para um final feliz da equipe alviverde e Túlio de Melo, aos 32, fez a história acontecer, marcando o gol da virada, decretando a vitória e levando o estádio ao delírio.

Foto: Sirli Freitas
Foto: Sirli Freitas

Ao final da partida, o Presidente Plinio David De Nes Filho – o Maninho – fez questão de enfatizar a dedicação e o comprometimento do grupo na temporada 2017 e afirmou que o esforço de todos foi “além do normal”.

O próximo compromisso da Chapecoense é no domingo, em Goiás, contra a equipe do Atlético Goianiense. Com a permanência garantida, a equipe alviverde vai em busca de uma nova vitória para conquistar objetivos ainda maiores na competição.

Texto: Alessandra Seidel

Fonte: chapecoense.com


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.