Situação financeira de SC é desoladora

O caráter explosivo da bomba política lançada pelo governador Eduardo Pinho Moreira durante entrevista no Centro Administrativo não se revela apenas no cenário crítico das finanças estaduais. Ou na forte declaração de que “se os cortes não forem feitos, Santa Catarina ficará ingovernável em 2019”. Ou, ainda, na constatação de que a situação das rodovias estaduais “está caótica”. Ou, outro impacto, de que o acréscimo de despesas na folha dos funcionários terá aumento este ano de R$ 650 milhões, fruto de benefícios concedidos pela gestão Colombo.

Quem compareceu na coletiva ficou com a sensação de que estava começando um novo governo. Vai ser complicado explicar à população como Eduardo Moreira, participante da administração estadual desde 2003, vice-governador e governador duas vezes ignorava esta dramática situação.

 

Não há alternativa. Ou o vice-governador ignorava os dados sobre o comprometimento das despesas ou Raimundo Colombo transmitiu a ele e à população uma ficção, quando alardeava na propaganda que Santa Catarina estava com tudo em dia e que era destaque na federação.

O pronunciamento do governador comporta múltiplas leituras. A primeira, feita pelos aliados, indica que está em campanha pela reeleição. Deve mesmo ser o candidato do PMDB e precisa estar com todas as contas em dia para evitar atraso salarial. A segunda, a coragem de mostrar a triste realidade num ano eleitoral. A terceira, a constatação dele e do PMDB de que a ponte com o PSD está definitivamente implodida.

O governador fez outra declaração contundente que merece reflexão. Classificou de irresponsáveis os deputados que aprovaram emendas com benefícios aos servidores que estouraram a folha salarial.

Os piores

Durante a entrevista coletiva, o governador Eduardo Pinho Moreira listou os cinco Estados do Brasil em pior situação financeira. Está em quarto lugar. Outra estatística surpreendente. Rio Grande do Sul lidera, seguido de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraíba.

Greves

Os trabalhadores da Comcap são campeões em paralisar serviços públicos tão essenciais como a coleta de lixo em Florianópolis. Greve de cunho ideológico e partidário, como enfatizou a diretoria da empresa. Isto nunca aconteceu em Joinville, Blumenau e Balneário Camboriú. Nestes e em outros municípios o serviço é privatizado. Melhor e mais barato.

Privatiza logo, Gean!

Equívocos

O Ministério da Agricultura vem cometendo equívocos graves na fiscalização do agronegócio em Santa Catarina. Em vez de fazer intervenções pontuais nas unidades onde são constatadas irregularidades, suspende as exportações, embargando os produtos. Opinião do deputado Dirceu Dresch (PT), ao criticar ações e omissões do governo federal. Ele defende correções pontuais e não operações espalhafatosas que acabam prejudicando toda a cadeira produtiva.

Fonte: NSC total


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.