Setor de tecnologia quer ser primeiro PIB de Santa Catarina

O setor de tecnologia de Santa Catarina, um dos que mais cresceram nos últimos anos e que faturou ano passado R$ 11,4 bilhões, tem o sonho grande de ter a maior participação no Produto Interno Bruto (PIB) do Estado num prazo de 15 anos. Quem revelou este plano nesta terça-feira foi o presidente da Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (Acate), Daniel Leipnitz, antes da assinatura da série de convênios para inovação, na sede do governo estadual.

— Vamos entregar os dados, tanto para o governador Raimundo Colombo quanto para o ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, para mostrar o quão pujante são os nossos números e apresentar o nosso sonho grande de ser a maior indústria catarinense nos próximos 15 anos. A gente quer ser a economia líder do Estado. Ainda está muito incipiente, mas se a gente partir do pressuposto de que o setor de construção civil responde por 5,7% do PIB estadual, a agricultura, por 7%, e nós, com 30 anos, já estamos com 5%, podemos  buscar a liderança – avalia Leipnitz.

Nesta terça-feira, pela primeira vez, a Acate reuniu lideranças de todos os polos de tecnologia do Estado para pensar o futuro de forma conjunta (foto abaixo). Para o presidente da entidade foi um dia histórico para essa nova fase.

Foto: Acate, divulgação

Um dos mais motivados era o secretário de Desenvolvimento de Joinville, Danilo Conti. Ele disse que a cidade está motivada a fortalecer o setor de tecnologia para suceder, na economia, a indústria metalmecânica.

Apoio a 91 sócios de startups 

Foto: Jaqueline Noceti / Jaqueline Noceti/SECOM

Com a presença do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Gilberto Kassab, e o governador Raimundo Colombo, foram assinados nesta terça-feira convênios e parcerias que garantem R$ 15 milhões ao setor. Grupo de 91 empresários de startups vão receber R$ 60 mil cada para projetos inovadores dentro do programa Sinapse da Inovação desenvolvido pelo governo do Estado e a Fundação de Tecnologia (Fapesc).

Também foi assinado acordo entre a Fapesc e a Embrapii para promover  colaboração científica e desenvolvimento tecnológico. Esses projetos serão abrigados nas unidades Embrapii SC da Fundação Certi e nos laboratórios Polo e Rema, da UFSC. O presidente da Fapesc, Sergio Gargioni, e o secretário de Desenvolvimento, Carlos Chiodini, também participaram do evento.

 

Fonte: Diário Catarinense

http://dc.clicrbs.com.br/sc/colunistas/estela-benetti/noticia/2016/10/setor-de-tecnologia-quer-ser-primeiro-pib-de-santa-catarina-7671540.html


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.