Sem sinal? Veja 6 obstáculos que podem atrapalhar a conexão do seu celular

Ficar sem sinal ainda é um momento complicado pelo qual muitos usuários de smartphone têm que passar mais vezes do que desejariam. Ver o ícone de rede sem barrinhas no canto da tela pode ser desesperador quando a última coisa que você precisa é ficar sem contato com a civilização.

É comum que o usuário culpe a operadora pela ausência ou fraqueza do sinal em algum local ou momento do dia, mas nem sempre a culpa é somente dela. Muitos elementos geográficos, climáticos ou situações fora do controle podem prejudicar a chegada do sinal ao celular.

Conheça, portanto, seis obstáculos que podem atrapalhar a conexão do seu celular com a rede móvel da sua operadora.

A sua distância em relação a uma torre de celular

Como explica o site How To Geek, sinais de redes celulares se movem em ondas de rádio, que ficam mais fracas conforme percorrem a atmosfera. Ou seja, quanto mais distante de uma torre de celular mantida por qualquer operadora, mais difícil será conectar o aparelho à rede. O limite, em geral, chega a ser de 35 quilômetros.

Relevo acidentado

Essas ondas de rádio viajam em linha reta, sem fazer curvas. Isso significa que basta um terreno acidentado para picotar a força do sinal. Morros, montanhas ou mesmo uma subida que se posicione entre você e a torre de celular mais próxima certamente podem prejudicar seu sinal. Em caso de prédios, porém, as ondas costumam bater e ricochetear nos vidros das janelas, fazendo o sinal ir mais distante.

Locais fechados

Só o fato de o seu celular estar num ambiente fechado já é suficiente para prejudicar o sinal da operadora. Embora o vidro faça bem às ondas de rádio, concreto, aço e outros materiais usados em prédios e casas certamente prejudicam a chegada do sinal ao seu celular. Por isso ir até o subsolo ou entrar num elevador são atitudes que costumam cortar sua conexão com o mundo, já que o único caminho para as ondas, nesses casos, é através do concreto.

O clima

Como dissemos anteriormente, ondas de rádio vagam pela atmosfera. Isto significa que condições climáticas adversas, como partículas de água, de poeira ou ionizadas, podem também interromper o percurso do sinal. Uma tempestade com relâmpagos e trovões certamente prejudica mais a chegada do sinal do que dias claros ou apenas nublados, por exemplo.

Número de pessoas conectadas a uma mesma rede

Não é só o Wi-Fi de casa que pode ficar fraco se tiver muitos aparelhos conectados. Até mesmo antenas gigantes em torres de celular suportam um número máximo de conexões simultâneas. Se você ficar sem sinal em um estádio, assistindo a uma partida de futebol, por exemplo, o motivo pode ser este.

Celular em movimento

Para ver o ícone de rede do celular com todas as barrinhas cheias, é preciso que o dispositivo envie e receba sinais da torre de transmissão mais próxima. Essa troca acontece tão rapidamente que é quase imperceptível. Mas, se você estiver se movendo rápido demais, na garupa de uma moto ou num transporte sobre trilhos, a torre da operadora vai ter mais dificuldade para te achar e trocar sinais com seu celular. Por isso, em alta velocidade, o sinal também pode falhar.

Fonte: Olhar Digital


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.