Sem alarmismo: entre coincidências e cobrança tímida, Chape tem 1ª “final”

Chegaram as primeiras cobranças. Não que tenha sido algo uníssono, longe disso, mas o decepcionante empate por 1 a 1 com o Almirante Barroso, sábado, com um jogador a mais por uma hora, decepcionou os torcedores presentes na Arena Condá. Parte vaiou timidamente. Vendo o tropeço com otimismo, porém, a Chape repete exatamente a mesma campanha do início do Catarinense do ano passado, quando venceu o primeiro turno e terminou como campeã. Mais do que isso, o rival da quarta rodada foi justamente o Avaí, fora de casa, assim como o duelo de quarta-feira, na Ressacada. Coincidências animadoras para aquela que pode ser considerada a primeira “final” deste recomeço.

 

Caso vença o Tubarão neste domingo, fora de casa, o Avaí assumirá a liderança isolada do estadual, podendo abrir cinco pontos da Chape no clássico, faltando cinco rodadas para o fim do turno. Há um ano, porém, Cleber Santana e Bruno Rangel garantiram o triunfo por 2 a 1 como visitante. Antes, o Verdão tinha vencido o mesmo Inter de Lages na estreia por 2 a 1, em casa; o Camboriú por 1 a 0, fora; e tropeçado no Guarani de Palhoça com 1 a 1 na Arena Condá. Para repetir a volta por cima de 2016 diante dos avaianos, entretanto, é preciso uma postura diferente da apresentada contra o Almirante Barroso.

Início do Catarinense de 2016

2 x 1 Inter de Lages
1 x 0 Camboriú
1 x 1 Guarani de Palhoça

Contra um time que marcava todo atrás da linha da bola, a Chape teve dificuldades para encontrar alternativas mesmo com um a mais. Oscilação natural para um time em formação, mas que raramente é perdoada em grandes clássicos.

– Vamos enfrentar uma equipe difícil, bem montada. Temos que fortalecer alguns conceitos que não estão maturados – apontou Mancini.

O treinador, por outro lado, minimizou o foco de insatisfação após o tropeço. Ao apito final, algumas vaias foram ouvidas na social, abafadas por aplausos do restante do estádio. A impaciência de parte da torcida mesmo no quinto jogo da temporada foi tratada com naturalidade por Mancini, que elogiou o seguidor da Chapecoense como um todo.

– É coisa do futebol. Estava tão focado no jogo, que, sinceramente, não ouvi. Quase no término do jogo, ouvi a torcida aplaudindo, incentivando. Essa é a tônica. Dificuldades vão acontecer, mas não tenho nada a dizer quanto a conduta do torcedor.

Com sete pontos, a Chape amanhece o domingo como líder do Catarinense e seca o Avaí diante do Tubarão, fora de casa. O clássico de quarta-feira está marcado para 20h30 (de Brasília), na Ressacada, pela quarta rodada.

 

 

Fonte: Globo Esporte


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.