Santa Catarina pode ter até 30 escolas com ensino médio integral

O Ministério da Educação (MEC) publicou, nesta terça-feira, a portaria que institui o programa de Ensino Integral no País, criado por Medida Provisória em setembro. Serão priorizados os Estados que tiverem alcançado o menor Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no ensino médio, “respeitada a disponibilidade orçamentária”.

No total, até 572 escolas públicas no país poderão ter as aulas integrais. O máximo por Estado é de 30 escolas, de acordo com a população. Na lista do Diário Oficial, Santa Catarina aparece com a previsão de até 30 escolas, atingindo 13,5 mil alunos, número previsto também em outros oito estados, incluindo os vizinhos Rio Grande do Sul e Paraná. O número do Ideb para o Ensino Médio em Santa Catarina é um dos dados que mais preocupa na Educação no Estado. Enquanto SC vai bem no Ensino Fundamental, o Ensino Médio registra a segunda queda consecutiva, de acordo com os dados divulgados em setembro deste ano: enquanto a média das escolas brasileiras está estagnada em 3,7 (escala de 0 a 10) nos últimos três levantamentos, Santa Catarina caiu de 4 (em 2013) para 3,8 em 2015. Mesma média alcançada em 2005 no Estado.

De acordo com a portaria, cada escola indicada para participar do programa deverá atender no mínimo 350 matrículas integrais de ensino médio após um ano (para o caso de migração de todos os anos) ou 120 no caso de migração somente do primeiro ano do ensino médio. O programa deverá ser implementado até o fim do primeiro semestre de 2017.

A proposta prevê carga horária de, no mínimo, 37,5 horas semanais, com cinco horas mínimas de Língua Portuguesa e cinco de Matemática, além de oito horas dedicadas à parte flexível do currículo.

O programa de ensino integral é parte da Medida Provisória anunciada pelo presidente Michel Temer (PMDB) no mês passado, que estabelece mais horas de aulas e menos disciplinas, com metade do curso montado pelo aluno. Trata-se da maior mudança já feita na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), de 1996.

Mais Educação

O governo federal também publicou nesta terça-feira portaria que reformula o programa Mais Educação, que estende a carga horária em escolas públicas do País. O novo modelo deverá priorizar o ensino de Português e Matemática nas unidades.

O programa será aplicado em escolas públicas de ensino fundamental, por meio de articulação institucional e cooperação com as secretarias estaduais, distrital e municipais de educação, com apoio financeiro do Ministério da Educação.

O programa foi criado em 2007, ainda no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, com a proposta de ampliar a jornada escolar para pelo menos sete horas diárias, oferecendo atividades optativas de acompanhamento pedagógico, esporte, lazer, cultura e outros. Escolas com maior vulnerabilidade social terão prioridade de recursos.

 

Fonte: Diário Catarinense

http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2016/10/mec-instituiu-aula-integral-no-ensino-medio-sc-pode-ter-ate-30-escolas-no-programa-7747588.html


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.