Santa Catarina perderá cinco agências de Correios até abril

O descontentamento com os serviços tende a piorar com as medidas tomadas recentemente na tentativa de evitar resultados ainda piores em 2017 para a empresa, que acumula dois rombos de R$ 4 bilhões no último biênio. Em Santa Catarina, cinco agências serão fechadas entre abril e maio: duas em Florianópolis e uma em Blumenau, Joinville e São José (veja mais ao lado). A estatal garante que os funcionários serão realocados e que atendimentos serão feitos por unidades próximas.

Tendo como público-alvo os empregados com mais de 55 anos, foi aberto em janeiro um Plano de Desligamento Incentivado (PDI) ao qual 5.491 trabalhadores dos Correios em todo o país aderiram.
Só com essa medida, a empresa espera conseguir economia anual de aproximadamente R$ 800 milhões. Em Santa Catarina, 179 aderiram, o que corresponde a 4,3% do total de funcionários.

Outra medida adotada para redução de despesas foi a suspensão das férias de todos os funcionários pelo período de 12 meses e de horas extras.

Para a presidente da Associação dos Profissionais dos Correios (Adcap), Maria Inês Capelli, a derrocada se iniciou no início dos anos 2000, quando ¿a história de contínua evolução dos Correios começou a sofrer abalos, decorrentes em grande parte da desprofissionalização da gestão da empresa¿. Denunciando um aparelhamento partidário – que teria passado por diversas siglas ao longo dos últimos anos –, ela afirma que o sucateamento da estatal se deve ao despreparo das pessoas indicadas para as posições de liderança.

Na cabeça dos consumidores, características como economia, segurança, regularidade e confiabilidade – antes orgulho dos Correios – têm deixado de ser sinônimo dos serviços da empresa. A estatal, que outrora podia se vangloriar de feitos superlativos como a ¿maior operação logística do planeta¿,  hoje amarga prejuízos econômicos e à sua reputação, em meio à mais grave crise financeira de seus 354 anos de história. A estimativa é de que o balanço de 2016, que ainda não está fechado, apresente um prejuízo de R$ 2 bilhões.

Confira as agências que fecharão no Estado

Florianópolis
Estreito
Funcionários: nove
Atendimentos por dia: 208
Encerramento: 1o de junho
Unidades que atenderão a demanda: Dias Velho (Rua Nossa Senhora do Rosário, 78) e Rua Santos Saraiva (Rua Santos Saraiva, 469, lojas 18 e 24)

Aeroporto
Funcionários: quatro
Atendimentos por dia: 90
Encerramento: 1o de abril
Unidade que atenderá a demanda: Baía Sul (Rua João Cancio Jacques, 49, térreo)

Joinville
Agência Vila Nova
Funcionários: três
Atendimentos por dia: 100
Encerramento: 1o de maio
Unidade que atenderá a demanda: Agência Central (Rua Princesa Isabel, 394)

Blumenau
Itoupava Norte
Funcionários e atendimentos por dia: não informado
Encerramento: 1º de junho
Unidades que atenderão: Victor Konder (Rua São Paulo, 1277); Itoupava Central (Rua Dr. Pedro Zimmermann 7683/sala T3) e Itoupava Norte (Rua Dois de Setembro, 3075, loja 05)

São José
Centro histórico
Funcionários: cinco
Atendimentos por dia: 90
Encerramento: 1o de maio
Unidades que atenderão: Ponte do Imaruim (Av. Aniceto Zacchi, 363) e Kobrasol (Av. Lédio João Martins, 38/loja 03)

 

Fonte: DC


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.