Quadrilha de ciganos é suspeita de fraudes no INSS em três estados

A Polícia Federal realizou na manhã desta quarta-feira (12) uma operação para desarticular uma quadrilha suspeita de fraudar benefícios assistenciais para idosos concedidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A ação foi denominada Nômade porque o alvo investigado era um grupo de ciganos. A operação cumpriu 10 mandados de busca e apreensão em cidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Mais de 70 policiais federais e militares participaram da ação ocorrida nas cidades de Erechim, no Norte do Rio Grande do Sul, em Lages e Joaçaba, em território catarinense, e também em Curitiba e União da Vitória, no Paraná.

As investigações foram iniciadas em 2015 após o INSS identificar que documentos falsos tinham sido utilizados para solicitar benefícios em agências localizadas nas cidades gaúchas de Erechim e Carazinho.

A polícia então identificou que os suspeitos faziam parte de um grupo que agia de forma nômade, especialmente, em estados da Região Sul do país, aplicando o mesmo tipo de fraude.

A análise preliminar feita pela Polícia Federal estima que o prejuízo em R$ 200 mil, mas os investigadores acreditam que esse valor pode aumentar após o cumprimento dos mandados de busca e apreensão desta quarta, que podem trazer novas informações.

Os suspeitos são investigados pelos crimes de estelionato, organização criminosa, falsificação de documento e uso de documento falso.

Arma apreendida durante o cumprimento das ordens judiciais em Lages, Santa Catarina (Foto: Divulgação/PF)

Arma apreendida durante o cumprimento das ordens judiciais em Lages, Santa Catarina (Foto: Divulgação/PF)

Fonte: G1 SC


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.