Inter tenta feito inédito em 2016 para voltar a decidir Copa BR após 7 anos

A prioridade é outra. Afinal, o foco está todo em manter o Inter na elite do Brasileirão. Apesar disso, os jogadores não esquecem a Copa do Brasil. Eles podem colocar o clube em uma decisão do torneio após sete anos. Porém, para chegarem à final, precisarão fazer algo inédito em 2016: superar um adversário por pelo menos dois gols de diferença como visitantes por competições nacionais.

Quando entrar em campo no Independência às 21h45 desta quarta-feira para enfrentar o Atlético-MG, o Colorado buscará derrubar sua própria história. Em jogos do Brasileirão ou Copa do Brasil, ganhar fora de casa virou tarefa dura.

No Brasileirão, no qual pena para fugir do rebaixamento, só venceu em duas oportunidades ao longo de 16 partidas até o momento – ainda conta com quatro empates e 10 derrotas, o que dá um aproveitamento de apenas 21%. Bateu o São Paulo por 2 a 1 no dia 22 de maio e fez 1 a 0 no Santos, uma semana depois. O resultado contra o Tricolor Paulista leva os gaúchos à decisão por pênaltis, enquanto o do Peixe elimina o Inter.

Para completar, na Copa do Brasil, o retrospecto, embora com muito menos jogos, é pior. Perdeu por 1 a 0 para o Fortaleza, nas oitavas de final, e por 2 a 1 para o Santos, nas quartas. A derrota por 2 a 1 em casa para o Galo complicou a sequência, como reconhece Ernando.

– Não queríamos tomar dois (gols) em casa. O regulamento nos dificultou muito, mas podemos chegar lá, fazer 2 a 0 e conseguir a classificação. Será difícil, mas tentaremos. Na Copa do Brasil, você pode fazer um gol e criar o receio no time deles. Precisamos de dois. Se eles fizerem um, seguimos precisando de dois. Será um jogo bom – comentou o zagueiro.

Em 2016, o Colorado venceu apenas um confronto fora de casa pelo placar que o classifica diante do Atlético-MG. Foi no longínquo 3 de abril, quando fez 3 a 0 no Glória, pelo Gauchão.

Para superar tal barreira, Celso Roth mantém a filosofia e aposta em um time misto. Apenas cinco titulares começarão a partida em Belo Horizonte. São eles: Danilo Fernandes, Ceará, Ernando, Rodrigo Dourado e William.

A provável formação tem: Danilo Fernandes; Ceará, Alan Costa, Ernando e Artur; Rodrigo Dourado, Eduardo Henrique, William, Anderson e Valdívia; Aylon. Para Ernando, o grupo tem condições de surpreender os comandados de Marcelo Oliveira:

– Esses jogadores já atuaram. Por isso conseguimos as classificações com times alternativos. Temos uma oportunidade chegar à final. Podemos conquistar a vaga – decretou.

A façanha pode devolver o Colorado – campeão do certame em 1992 – a uma decisão nacional, algo que não ocorre desde 2009. Na ocasião, a equipe disputou a final do torneio com o Corinthians. Após perder por 2 a 0 no Pacaembu, empatou em 2 a 2 no Beira-Rio e terminou em segundo.

Como perdeu por 2 a 1 no Beira-Rio, o Inter precisa fazer dois gols de diferença no Atlético-MG para chegar à final. Caso devolva o placar, a decisão será nos pênaltis. A vitória por um gol só serve a partir de 3 a 2. O jogo ocorre nesta quarta-feira, às 21h45.

>> INTER X ATLÉTICO-MG – SEMIFINAL DA COPA DO BRASIL

Local: Independência, em Belo Horizonte.
Data e horário: quarta-feira, às 21h45 (de Brasília).
Escalação provável: Danilo Fernandes; Ceará, Alan Costa, Ernando e Artur; Rodrigo Dourado, Eduardo Henrique, William, Anderson e Valdívia; Aylon
Pendurado: Fernando Bob
Desfalques: Eduardo, Fernando Bob, Nico López, Diego, Marcelo Lomba e Anselmo
Arbitragem: Jailson Macedo Freitas (BA), auxiliado por Alessandro Rocha de Matos (Fifa/BA) e Bruno Raphael Pires (Fifa/GO)
Transmissão: TV Globo (MG), com Rogério Correia, Bob Faria e Márcio Rezende Freitas. SporTV e PFCI, com Milton Leite e Maurício Noriega

Fonte: GE
http://globoesporte.globo.com/rs/futebol/times/internacional/noticia/2016/11/inter-tenta-feito-inedito-em-2016-para-voltar-decidir-copa-br-apos-7-anos.html


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.