Ex-deputado federal Pizzolatti somou 222 pontos na CNH em quatro anos

O ex-deputado federal João Pizzolatti, que provocou um grave acidente na última quarta-feira (20) em Blumenau, não poderia estar dirigindo. Conforme o Detran de Santa Catarina, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do político está vencida desde 22 de agosto deste ano. Entre 2014 e 2017, ele somou 222 pontos na carteira.

Este ano ele já havia recebido uma multa por embriaguez ao volante. O histórico também mostra que em setembro de 2007 ele teve a carteira suspensa. Já em dezembro de 2012, teve a CNH cassada por dois anos. Atualmente responde a um processo de suspensão em Blumenau. Todas as medidas contra o ex-deputado foram por excesso de pontos.

Em quatro anos, Pizzolatti recebeu 46 multas, que somam 222 pontos. Um delas foi em junho de 2015 por se recusar a fazer o bafômetro. Em setembro de 2017, o ex-deputado foi multado por embriaguez ao volante.

A maioria das multa é por excesso de velocidade, 31 no total. Também há multas por furar o semáforo, dirigir na contramão e dirigir com a carteira cassada.

Em nota, a defesa de Pizzolatti disse que o político lamenta “profundamento o episódio” e deseja “pronta recuperação à vítima”. Também afirmou que o ex-deputado federal foi internado para tratar o alcoolismo. Se condenado, a pena pode chegar a cinco anos de prisão.

Acidente

O acidente aconteceu por volta das 13h, em Blumenau, na SC-421, próximo a Pomerode. O carro de Pizzolatti invadiu a pista contrária e bateu em dois veículos.

“Uma testemunha estava no carro atrás do suspeito e disse que ele dirigia em zigue-zague. Caso típico de direção em um estado de embriaguez”, afirma o delegado Douglas Barroco.

Um dos veículos atingidos tombou e pegou fogo. Quem passava pelo local ajudou a virar o carro e apagar as chamas com extintores. O motorista Paulo Marcelo Santos, de 23 anos, teve três fraturas e queimaduras de segundo e terceiro graus nas pernas e continua internado no hospital São José, em Joinville. Até agora, a família diz que não foi contatada por Pizzolatti.

Em um vídeo gravado por uma testemunha logo após o acidente, Pizzolatti admitiu que estava embriagado (veja no vídeo acima).

“Em nenhum momento ele perguntou como estava a vítima, ele simplesmente dizia que tinha dinheiro, que ele ia pagar o prejuízo do acidente. E ele do meu lado abriu o zíper, queria mesmo urinar ali na frente de todo mundo”, afirma Fabiane Preilipper, que testemunhou o acidente.

Polêmica

Enquanto era feito o resgate, o ex-deputado saiu do carro sozinho. Em alguns minutos, a polícia chegou ao local. Um vídeo mostra os policiais colocando Pizzolatti no porta-malas da viatura.

Logo depois, o irmão Paulo Pizzolatti, ex-prefeito de Pomerode, chegou, o tirou do veículo e o colocou na ambulância. Nenhum socorrista participou desta parte do atendimento. Ele foi levado para o hospital sem escolta da polícia. Lá, recusou atendimento e foi embora.

À NSC TV, o médico do Samu Miguel Aiquel, responsável pelo atendimento às vítimas no local do acidente, diz que indicou Pizzolatti a ir ao pronto-socorro com a ambulância dos bombeiros. “O sigilo médico me proíbe de comentar qualquer coisa do estado de saúde dos pacientes”.

A PMRv disse que os policiais não fizeram a escolta porque no momento do acidente a prioridade era a segurança viária no local. O Ministério Público vai investigar o caso.

“O procedimento correto quando há crime é conduzir até a central de plantão para que a autoridade policial analise a situação. Não foi analisado ali a situação flagrancial dele, que poderia ocasionar a própria prisão e ele ficaria preso até a audiência de custódia, que é o momento que o poder judiciário analisa se mantém ou não a prisão”, explica o delegado.

Pizzolatti conclui o mandato de deputado em 2015 e não concorreu a reeleição porque foi enquadrado na lei da Ficha Limpa. Ele é investigado na Operação Lava Jato.

 Acidente envolvendo três carros em SC-421 deixou jovem gravemente ferido (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Acidente envolvendo três carros em SC-421 deixou jovem gravemente ferido (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Fonte: G1 SC


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.