Em um dia, garota liga 758 vezes para os bombeiros para passar trote

Da madrugada de terça-feira (17) até a tarde de quarta (18), uma adolescente de 15 anos tentou passar 758 trotes aos bombeiros de Lages, na Serra de Santa Catarina. De um telefone celular, a garota ligou para o 193 e chegou a atrapalhar o atendimento de um acidente grave.  A corporação procurou a Polícia Civil e registrou um boletim de ocorrência.

“Ela não chegava a inventar uma emergência, mas dizia bobagens, perturbava nosso trabalho. Depois de identificarmos o número, por meio de uma bina, não atendíamos mais, mas ainda assim, ela acabava ocupando uma linha, o que nos impedia de atender pessoas em ocorrências reais”, contou o sargento Márcio Lopes Germano.

Perturbação
A situação se complicou quando houve um acidente grave com uma motociclista, que ficou presa embaixo de um caminhão. “Quando ocorre um acidente, recebemos mais de uma ligação, o que nos permite entender o tamanho da situação, definir o número de viaturas e até de militares a serem enviados para o local”, explicou Germano.

Conforme o Corpo de Bombeiros, enquanto a guarnição atendia a condutora da moto, o 193 recebeu 23 ligações. Dessas, 19 eram trotes vindos do celular desta adolescente.

A corporação mantém em sigilo a forma como identificou a proprietária do celular, mas assim que o fez, enviou um oficial até a residência da jovem e conversou com a família.

“A mãe da menina nos atendeu e foi bastante receptiva, entendeu a gravidade da situação e prometeu tomar medidas para resolver o problema”, contou o sargento.

Rotina
Conforme os militares, os trotes fazem parte da rotina dos bombeiros e nem sempre vêm de crianças. Em um dia, os bombeiros de Lages atendem uma média de 400 ligações pelo 193, destas apenas 15 são ocorrências reais.

“Às vezes, chegamos a deslocar uma guarnição para atender e não é nada, muitos adultos passam trotes, o que dá credibilidade ao relato. Embora na maioria das vezes consigamos identificar falsas ocorrências, às vezes caímos. Quando damos atenção a uma emergência fictícia, estamos deixando de socorrer um incêndio ou uma criança vítima de engasgamento. Estamos deixando de salvar uma vida”, lamentou.

Segundo os bombeiros de Lages, apenas um militar trabalha no atendimento do telefone, despacho de ocorrência pelo rádio e aviso aos hospitais em casos de vítimas em estado grave.

A corporação divulgou uma nota, alertando a população sobre a gravidade de usar o 193 para comunicar acidentes falsos.

 

Fonte: G1 SC


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.