Duas mulheres reconhecem preso pela PM por roubo como responsável por ato obsceno

Duas mulheres reconheceram um homem preso por roubo na terça (13) pela Polícia Militar de Lages, na Serra catarinense, como suspeito de praticar atos obscenos nos entornos do campus da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), conforme a corporação. Em 7 de março, estudantes protestaram pelo fim do assédio no trajeto à instituição de ensino.

O homem tem 50 anos e tinha uma prisão preventiva decretada por roubo e lesão corporal dolosa. Segundo a PM, ele havia roubado o celular de uma mulher e agredido a amiga dela, e tem antecedentes criminais por ameaça, furto, roubo, estupro e homicídio.

Ainda segundo a polícia, a Agência de Inteligência e o 6º Batalhão de PM de Lages identificaram o local de moradia do homem, no bairro Gethal, próximo à Udesc, e ele foi preso.

Após a prisão, duas jovens reconheceram o homem e relataram o crime. Nos dois casos, ele se masturbou na frente das vítimas.

Estudantes fizeram protesto na Udesc de Lages (Foto: NSC TV/Divulgação)

Estudantes fizeram protesto na Udesc de Lages (Foto: NSC TV/Divulgação)

Homem não é único assediador

Na semana passada, alunas da Udesc em Lages fizeram um protesto contra os assédios que muitas vinham sofrendo nos arredores do campus. Com cartazes, elas fizeram apitaço pra chamar atenção para o problema.

A estudante Giovana Reali Stuani, representante do Coletivo Feminino Cav/Udesc, esclarece que a situação de assédio é recorrente na universidade e não é praticada por um único homem. “É uma questão cultural, mas que se tornou cada vez mais recorrente. No ônibus, na rua, na hora que estamos indo e voltando da aula”, disse.

A representante não soube precisar se o homem preso pela PM estava envolvido em alguma das ocorrências denunciadas por elas. “Muitas vezes as vítimas não sabem nem caracterizar a pessoa. Nós criamos o coletivo para denunciar que esse tipo de atitude não é normal”, completou.

Em um dos casos denunciados pelas garotas, uma estudante parou para amarrar o tênis e foi surpreendida por um homem que tentou agarrá-la por trás, colocando os genitais para fora da calça.

Fonte: G1


Envie pelo WhatsApp a palavra 'Sim' para (49) 98824-6292 e receba as principais notícias da região.